Duilio pede fim de canto homofóbico da torcida do Corinthians e cita sinalizadores após o Majestoso

O presidente do Corinthians, Duilio Monteiro Alves, pediu o fim de cantos homofóbicos por parte da torcida depois do empate por 1 a 1 com o São Paulo, na tarde deste domingo. Lembrando que o clube agiu rapidamente durante a partida, ele afirmou que não tem mais cabimento entoar palavras contra o público LGBTQIA+ – confira entrevista do mandatário no vídeo acima.

"A gente é totalmente contrário a esse tipo de canto, da mesma forma que eu falei aqui do racismo, da acusação ao Robson, também esse tipo de canto e homofobia o Corinthians é contra. O Corinthians vem conversando com seus torcedores, vem fazendo campanhas contra a homofobia", disse Duilio na zona mista do estádio corinthiano.

Durante a partida, os torcedores, como em todos os clássicos contra o São Paulo, cantaram "dessas bichas teremos que ganhar" e "vai para cima delas, Timão, da bicharada". Já no segundo tempo, o juiz chegou a paralisar o jogo para registrar que havia um canto homofóbico vindo da arquibancada.

A organização do estádio colocou no telão uma mensagem pedindo que a torcida não se manifestasse dessa forma pois o clube poderia ser punido. O Corinthians já havia usado as redes sociais para passar essa mensagem.

"Hoje, todas as vezes que a torcida começou a cantar, a gente colocou no telão, a locutora do estádio reprimiu, porque a gente não acha correto, e o futebol está mudando. No próprio jogo hoje, a torcida já mudou o canto, parou de fazer a ofensa que estava fazendo. A gente tem que insistir nisso, que acabe todo tipo de discriminação, a gente está em 2022, isso tudo não faz mais sentido”, observou.

Vale lembrar que a homofobia é algo presente de maneira perene no futebol brasileiro, com cânticos homofóbicos sendo entoados por diversas torcidas – a do São Paulo tem uma que fala em "desmunhecar" e diz que o "gavião virou um beija-flor" sobre o Corinthians.

Sinalizadores também preocupam

Além do tema, Duilio também pediu que não fossem mais acendidos sinalizadores, ainda que com muito menos veemência. O artefato foi usado por torcedores no final da segunda etapa e, mais uma vez, o árbitro precisou paralisar a partida até que os mesmos fossem apagados.

"Hoje, da mesma forma que a gente vem reprimindo várias coisas no estádio que atrapalham o Corinthians, multas são sempre dadas, também existe o risco de você perder o mando de campo, jogar com o estádio fechado, isso a gente não quer, a gente precisa muito da Fiel no nosso lado", contou, lembrando que o torcedor responsável foi identificado.

Por fim, o mandatário alvinegro fez a sua avaliação sobre o desempenho corinthiano na partida frente aos são-paulinos.

"O Corinthians foi mal no primeiro tempo, não conseguiu jogar, mas no segundo tempo o Corinthians mostrou o que a gente tem visto nos últimos jogos, uma entrega maior, o time mais organizado, melhorou e a gente conseguiu o empate. Lógico que o resultado esperado não era esse, viemos buscar uma vitória, mas a primeira posição no campeonato é importante", encerrou.

Notícias relacionadas

Notícias relacionadas Duilio admite sondagens por João Victor e desvincula situação de possível retorno de Méndez Willian reconhece desempenho abaixo em Majestoso e valoriza rodízio na equipe Du Queiroz vê Corinthians desligado e troca no meio como fundamental em melhora no clássico

Veja mais em: Torcida do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, Neo Química Arena, Majestoso e Corinthians x São Paulo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.