Adson relembra não ida ao Real Madrid e revela sonhos por títulos no Corinthians e faculdade

Autor do gol de empate entre Corinthians e São Paulo, no último domingo, pelo Campeonato Brasileiro, o jovem Adson poderia ter seguido carreira fora do Brasil. Mais especificamente, em um dos gigantes europeus: o Real Madrid.

Em entrevista à TNT Sports Brasil, Adson relembrou o convite da equipe espanhola para um período de testes quando ainda jogava futsal em Aruanã, cidade onde cresceu em Goiás. O corinthiano chegou a ser aprovado, mas não se mudou para a Madrid em razão da condição financeira naquela época.

"Com 12 anos de idade, eu nem tinha saído da minha cidade, só tinha jogado ali, mas os empresários já tinham ido pra lá (Europa). Aí um francês foi assistir um jogo meu, fizemos um joguinho entre cidades e eu fiz seis gols. Aí o francês disse que precisava fazer um material meu para mandar para o pessoal da Espanha. E eu meio que sem acreditar, pensava 'será que é verdade o que esse cara tá falando?'. Aí a gente fez um torneio só pra gravar meu material, eu não tinha nada gravado, e mandamos pro pessoal de lá", conta Adson.

"Depois chegou uma carta em escrito me convidando para fazer um período de teste lá, fiquei 20 dias no Real Madrid fazendo teste, onde eu fiz 19 dias de treino e um dia de amistoso, o último dia. Depois do teste eles falaram que queriam que eu fosse pra lá, que eu estava aprovado, mas eles não conseguiam me ajudar com moradia. Na época tinha 12 anos, não podia ficar em alojamento, e aí por conta disso não deu certo de eu ficar. Eles falaram que se eu quisesse ficar sozinho eles iam conseguir, mas eu era novo, nunca tinha deixado os pais assim, a gente achou melhor voltar e continuar tentando pelo Brasil", explica o jogador.

Dessa forma, Adson chegou às categorias de base do Corinthians em 2017 e realizou outro sonho: vestir a camisa do Timão. Após a chegada de Vítor Pereira, inclusive, o jogador apareceu em 13 das 20 partidas possíveis para estar dentro de campo e agora só precisa de mais uma jogo como titular para igualar os números da última temporada.

"Nós temos muitos jogos esse ano, então não tem quem aguente jogar tantos jogos. Somos uma equipe muito forte em si, não são só 11 titulares, é um grupo. Todo mundo é importante e estamos conseguindo dar conta do recado e eu acho que está sendo importante tanto pra mim quanto para outros meninos", disse Adson.

Para o futuro, o corinthiano não sonha apenas com títulos com a camisa alvinegra. Filho da professora Raquel, Adson finalizou o ensino médio após a mãe pegar no pé para que o atleta não abandonasse os estudos. A meta é se formar em duas faculdades mas, antes disso, conquistar muitos títulos pelo Timão – e ele já sabe como quer comemorar.

"Tenho vontade de fazer uma faculdade de educação física e de abrir uma escolinha de futebol na minha cidade, que dê pra ser competitiva mesmo, que consiga estar nos campeonatos goianos e tal. E pretendo fazer administração também pra futuramente poder administrar meus negócios", contou o jogador.

"A gente sabe que o Corinthians sempre visa títulos e esse ano não vai ser diferente. Estamos em três competições e queremos levar o máximo possível pra casa. A gente veio aqui pra fazer história, como eu que acabei de subir e quero construir minha história com o clube. Então é manter o foco e os pés no chão que as coisas vão dando certo", disse. "Vai ter carro de bombeiro, foguete, tudo que tiver direito", revelou o corinthiano em como celebrará os títulos.

Notícias relacionadas

Notícias relacionadas Corinthians enfrenta Always Ready em busca de confirmar classificação na Libertadores; saiba tudo Jô fala sobre trajetória do Corinthians na Libertadores e destaca importância de jogo desta quinta Corinthians publica primeiro balancete de 2022 e registra superávit de R$7,7 milhões

Veja mais em: Adson e Base do Corinthians.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.