O uso das criptomoedas em 2022: fora e no mundo do futebol


O uso das criptomoedas em 2022: fora e no mundo do futebol

É totalmente possível estar mais envolvido com os jogos e as equipes, usando as moedas digitais para fazer apostas no futebol

Com inúmeras variações, o mercado financeiro de criptomoedas está virando notícia e entrando na “boca do povo”

Categorias: Marketing e Negócios

Por: Agência Futebol Interior, 18/06/2022

Criptomoedas no futebol (Foto: Reprodução)

Campinas, SP, 16 (AFI) – Com inúmeras variações, o mercado financeiro de criptomoedas está virando notícia e entrando na “boca do povo”. A popularização da compra de tais ativos financeiros vem permitindo, cada vez mais, a realização de simples transações, como comprar uma pizza em uma noite de quarta e assistir a um jogo do Brasileirão com os amigos. A seguir, veja como as criptomoedas estão mudando o mundo financeiro dentro e fora de campo:

Criptomoedas dentro de campo: os criptoativos no universo do futebol

Hoje, com a tendência mundial envolvendo o uso das criptomoedas, além de utilizá-las para pagar por transações rotineiras, é totalmente possível estar mais envolvido com os jogos e as equipes, usando as moedas digitais para fazer apostas no futebol em sites como o Bet365 e outros populares.Ou, ainda, para trocar por itens do clube de vantagens no próprio time, algo que ainda é novidade para muita gente.

Além de deixar o jogo mais emocionante, palpitando em sua equipe favorita ou naquele adversário que realmente tem chance, é possível comprar criptomoedas de clubes nacionais e internacionais e obter regalias com tais ativos. Veja a seguir quais clubes já possuem criptoativos para você poder investir ou quais são as suas propostas envolvendo este novo mercado:

1. Timãocoin segue como o criptoativo do Corinthians

Produzida pela Footcoin, a Timãocoin, nome dado a criptomoeda do Corinthians, foi lançada com um valor inicial de R$ 10,00, fornecendo um preço bem acessível para os seus fãs e investidores. Sem contar as vantagens especiais na compra de produtos e ingressos do Clube. O seu principal objetivo é funcionar como uma moeda de troca, diferenciando-se do que conhecemos hoje com o Bitcoin.

Timãocoin (Foto: Divulgação / SCCP)

2. São Paulo já oferece espaço exclusivo para pagamentos com cripto

Com uma grande parceria com a Bits, uma das maiores plataformas de cripto da América Latina, o São Paulo também decidiu explorar os criptoativos junto ao seu público-alvo. Um exemplo é o seguinte: o torcedor que fizer a compra dos ingressos com moedas digitais pela plataforma terá direito a se sentar em um dos 18 mil lugares reservados para torcedores Bits, eliminando todas as chances de ficar sem ingressos por esgotamento de vendas para assistir a um grande clássico. É uma proposta diferenciada, mas que já mostra ter feito sucesso com os fãs do tricolor.

3. GaloCoin já é febre entre os mineiros

O Atlético-MG é outro time de peso que já lançou a sua própria criptomoeda: a GaloCoin. Também em parceria com a Footcoin, o ativo pode ser utilizado de forma exclusiva para adquirir ingressos, itens personalizados do Clube e muito mais. No site oficial, é possível encontrar oportunidades por preços ainda mais acessíveis, em torno de um real.

4. Flamengo, Avaí e Fortaleza também seguem a tendência

O time catarinense Avaí se juntou a dois grandes nomes para lançar o seu token digital: a BlackBridge Sports e a SportyCo. O Fortaleza seguiu a mesma ideia e lançou o seu ativo em parceria com a Footcoin: o LeãoCoin. Para não ficar para trás, o Mengão também está com planos de estabelecer a sua própria criptomoeda e, a partir dela, trazer benefícios para os torcedores e para o próprio Clube.

Fora tais times, Santos, Vasco e Palmeiras são outros dos exemplos que acompanham a tendência e o que o vem fazendo de forma muito atrativa. Assim, vemos que as criptomoedas estão mais ativas do que nunca nos esportes, seguindo muito além de um método de pagamento em casas de apostas online.

Indo além dos esportes: outros usos para as criptomoedas

Ainda que muitos indivíduos pensem ser besteira, sobretudo com a desvalorização árdua sofrida pelo Bitcoin (BTC), uma série de especialistas afirmam que as cripto são as moedas do futuro. Então, não nos admiramos ao ver que cada vez mais sites (e até estabelecimentos físicos mais modernos) vêm aderindo a onda e incluindo os criptoativos dentre as suas formas de pagamento.

No Brasil, ainda que elas sejam uma grande novidade, sobretudo para os mais veteranos, já encontramos pagamentos via criptomoedas em:

l E-commerces de nichos variados;

l Supermercados;

l Salários de funcionários;

l Clubes por assinatura;

l E mais

Inclusive, há planos de que os próprios governos municipais e estaduais passem a receber, a partir dos próximos anos, certos impostos em criptomoedas. Mostrando, de fato, que a inovação do mercado financeiro veio para ficar!

Quais são as criptomoedas mais famosas do Brasil?

O mercado de tokens surge com novidades como nunca, mas é notável que algumas moedas mais clássicas se destacam e seguem com preferência no mercado brasileiro.

Dentre as moedas mais aceitas e utilizadas em tais transações, destacam-se: Bitcoin (BTC), Ripple (XRP), Ethereum (ETH), Binance Coin (BNB), Solana (SOL) e Dogecoin (DOGE).

Com uma maior aceitação e exploração de tais formas de pagamento, seguidos do seu impulsionamento para ainda mais serviços e estabelecimentos, é esperado que as moedas digitais ganhem um patamar tão acessível quanto os sistemas corriqueiramente usados no país. E com os exemplos dos times de futebol criando as suas próprias moedas, assim como deliveries de comida aceitando BTCs, tudo indica que esta mudança está próxima de ocorrer.

Confira também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.