Atacante do Corinthians tenta manter Copa do Mundo do Catar no radar à distância; entenda

O atacante Júnior Moraes tenta manter a disputa da Copa do Mundo do Catar no seu radar nesta semana. Integrante da seleção da Ucrânia desde 2019, ele acredita que pode ter chances de fazer parte do grupo principal caso o país se classifique ao Mundial na disputa derradeira das eliminatórias.

Seu país disputa a primeira partida da fase final nesta quarta-feira, contra a Escócia, a partir das 15h45 (horário de Brasília). O vencedor encara o País de Gales no domingo. Caso passe pelos britânicos, a Ucrânia assegura um posto na Copa.

De longe, Moraes tenta mostrar que ainda é capaz de ajudar a equipe. Depois de fazer seu primeiro gol e ganhar mais minutos dentro de campo com a camisa alvinegra, voltou a estar no radar do país.

O atleta se naturalizou ucraniano em 2019 porque o técnico Andrey Shevchenko buscava uma opção a Yaremchuk no ataque. Na época, foi convocado pela primeira vez para disputar as partidas contra Portugal e Luxemburgo, pelas Eliminatórias da Euro 2020.

Na ocasião, aliás, os dois países rivais protestaram alegando que Moraes não havia completado os cinco anos na Ucrânia, necessários para a naturalização segundo o regulamento da Fifa. Todavia, a Uefa deu ganho de causa para o atacante, que havia morado no país europeu por quatro anos e oito meses antes de ir para a China. Ao todo, o atleta defendeu a Ucrânia em 11 partidas e marcou um gol.

Caso haja a classificação e Moraes integre o elenco, ele tem boas chances de ser o único representante do Timão na Copa do Mundo. Outra possibilidade é o zagueiro Bruno Méndez, emprestado ao Internacional, mas o atleta não vem integrando as listas do Uruguai.

Pelo Brasil, Cássio, Fagner, Willian e Renato Augusto, que foram para a última edição do Mundial, não fizeram parte do ciclo desde 2019. Paulinho, outro integrante do elenco na Rússia, rompeu o ligamento cruzado e não atua até dezembro.

Veja mais em: Júnior Moraes.