Análise: Corinthians conta com a base para ficar no topo em jogo de presenças improváveis

O Corinthians conseguiu três pontos importantíssimos com uma atuação apenas mediana na noite deste sábado, em Goiânia. Recheado de desfalques e terminando o duelo contra o Atlético-GO com um arremedo de time, a equipe leva para casa uma lição constante da temporada: a base salva.

Sem poder contar com o trio que eu mesmo já classifiquei como imprescindível para pensar em título no ano (Fagner, Maycon e Willian), o Timão ainda atuou com a dupla de zaga reserva e não teve Jô. Cenário em que se esperava uma produção acima da média de Renato Augusto, Giuliano e Róger Guedes.

Quem sobressaiu, no entanto, foi a molecada. Ainda que considere o jogo de Renato acima do exercido pelo Giuliano, ambos bem acima do que se viu do Róger, o trio não teve participação decisiva nas principais jogadas do primeiro tempo.

Em meio a um marasmo ofensivo, Du Queiroz entrou driblando, tocou para Lucas Piton e esse achou o outra vez lateral Gustavo Mantuan na área. A cabeçada no canto deu início ao melhor momento corinthiano no jogo, com roubadas de bola e pressão alta.

O destaque nessa fase, no entanto, foi Adson, que deixou Róger Guedes em ótima condição e depois ameaçou em duas boas jogadas individuais. Os jovens assumiram a bronca de manter o Corinthians brigando e merecem aplausos.

Há de se falar do quão frágil foi o sistema defensivo corinthiano e como é preocupante Vítor Pereira precisar escolher entre pressionar alto para ter chances no ataque ou estacionar o ônibus para travar o adversário.

Vejo mérito do treinador em travar a pressão adversária, resumida a bolas na área, mas é necessário que se busque um equilíbrio por ao menos mais minutos nos próximos jogos. A vitória veio, mas a performance precisa melhorar.

No segundo tempo, Renato, Róger e Giuliano produziram a única chance de perigo, desperdiçada pelo último. Pouco para quem tem como missão ser o diferencial de uma equipe. O camisa 9, aliás, poderia ver como se dedicam seus concorrentes na hora de pressionar o adversário para ter mais chances de atuar.

Por fim, faça-se a ressalva que o time estreou dois atletas no Brasileiro neste sábado (Xavier e Felipe), deu minutos a João Pedro após quase dois meses e teve Du improvisado na ponta por 15 minutos. Ainda assim, a vitória veio.

Notícias relacionadas

Notícias relacionadas Corinthians dorme na liderança isolada do Brasileirão e fica de olho em jogo de rivais neste domingo Base salvadora e críticas para dupla marcam vitória do Corinthians no Brasileiro; veja tuítes Corinthians volta a vencer e reassume a liderança do Brasileirão ao bater o Atlético-GO

Veja mais em: Corinthians x Atlético-GO, Vítor Pereira e Campeonato Brasileiro.