Ex-lateral do Corinthians relembra expulsão contra o River Plate e susto com torcida organizada

O ex-lateral-esquerdo Róger Guerreiro, parte do elenco do Corinthians por duas temporadas, relembrou sua passagem pelo clube. Um dos momentos mais marcantes, porém, foi a eliminação na Libertadores 2003.

Naquela temporada, o Timão fez uma boa campanha na fase de grupos. A equipe avançou após ter cinco vitórias e uma derrota. A história na competição acabou nas oitavas, quando enfrentou o River Plate, da Argentina. Em entrevista ao podcast Glória Eterna, Róger lembrou sua expulsão naquela partida.

"Eu cheguei um pouco atrasado no lance, ele (D'Alessandro) já tinha tocado na bola, e eu dei um biquinho no tornozelo dele, que se tivesse VAR meu cartão vermelho teria sido anulado. Porque eu tomei vermelho direto por um biquinho no tornozelo. Pode pegar o replay que não deve nem ter arranhado o tornozelo dele. Mas foi involuntário, sem intenção de machucar, infelizmente o juiz foi muito rigoroso", pontuou o jogador.

"Aquela expulsão na Libertadores foi um divisor de águas. Depois eu sofri um processo de fritura dentro do Corinthians, fiquei meio excluído, joguei mais 4 jogos só", completou o lateral, que soma 18 jogos no total pelo clube.

Róger ainda conta chegou a treinar separado do time em alguns momentos. O ex-lateral defendeu o Timão de 2003 a 2005 – sendo emprestado ao Flamengo em 2004. O jogador, porém, relembra que não entrava em campo por não agradar a torcida.

"Teve uma época que eu não fazia nem mais coletivo, ficava treinando atrás do gol, fui bem excluído. Treinador que passou pelo Corinthians me falou depois que a própria diretoria falava que não era para me por para jogar, porque eu já estava queimado com a torcida", revelou.

Um dos momentos mais tensos vividos ao lado da Fiel foi após a eliminação em 2003. De acordo com Róger, cerca de duas semanas após a queda na Libertadores, os atletas foram cobrados no Parque São Jorge. O ex-lateral relembra a pressão da torcida.

"Na semana seguinte, ou 15 dias depois, teve reunião lá no Parque São Jorge com os diretores da Gaviões, deram aquela prensa… Torcedores mais exaltados, chegaram a tacar pedras na janela da minha casa"

"Na época nem carro eu tinha, eu ia treinar de ônibus ou de metrô, e tive que comprar o carro, porque a galera falou que se eu continuasse indo de ônibus ou metrô, a torcida iria me pegar e ter problema. Então fui praticamente obrigado a comprar um carro para ir ao treino", finalizou Róger.

Róger Guerreiro disputou 18 jogos pelo Timão (nove como titular). Foram oito vitórias, dois empates e oito derrotas. O lateral fez parte do elenco que conquistou o Paulistão de 2003. Em 2005, Róger foi emprestado ao Celta de Vigo, da Espanha, e depois vendido ao Juventude. O ex-jogador se aposentou em 2017, tendo o Rio Verde, de Goiás, como último clube.

Notícias relacionadas

Notícias relacionadas Vìtor Pereira chega a 32 jogadores utilizados desde que assumiu o Corinthians; veja lista completa Corinthians conhece detalhes das oitavas da Copa do Brasil nesta terça; saiba como será o sorteio

Veja mais em: Ex-jogadores do Corinthians.