Duilio cobra Conmebol e projeta conversa entre Corinthians e Boca após divulgação de punições

O presidente do Corinthians, Duilio Monteiro Alves, espera a definição de uma possível punição ao Boca Juniors ser divulgada pela Conmebol para conversar com os argentinos. Ainda está para ser definida a logística de ingressos tanto para os argentinos na Neo Química Arena quanto para os corinthianos na Bombonera.

Depois de se encontrarem na fase de grupos, o clube do Parque São Jorge e o de Buenos Aires duelarão pelas oitavas de final do torneio. A ida será no dia 28, em Itaquera, e a volta no dia 5, na Argentina.

Em entrevista concedida no hotel em que a delegação do Timão estava hospedada, em Cuiabá, o mandatário não direcionou suas críticas ao adversário. Para ele, cabe à entidade sul-americana definir logo a pena pelos casos de racismo e maus tratos a torcedores ocorridos na Bombonera.

"A questão não é ficar chateado com o Boca Juniors, é o todo. O policiamento de Buenos Aires. Nosso torcedor entrar no estádio depois do primeiro tempo, o acesso que tiveram, a forma como chegaram. A gente não só soltou nota, mas fizemos um ofício para a Conmebol ter mais atenção com os torcedores em outros países", disse, explicando os próximos passos.

"Não tratamos com o Boca (as oitavas de final), estamos esperando os resultados das ações disciplinares para ver como serão os próximos jogos em relação à torcida. Vamos tomar todas as atitudes, estaremos acompanhando de perto nosso torcedor para que seja tratado igual aos visitantes são tratados aqui", analisou.

A Conmebol deve divulgar nas próximas duas semanas as punições ao Boca Juniors pelos casos de racismo. Como há reincidência – um torcedor chegou a ser detido em São Paulo -, existe a possibilidade de punições mais severas, incluindo presença ou não de público.

"Sempre tratamos muito bem os visitantes, assistem ao jogo todo, entram e saem com calma. O estádio tem condições de atender. Cobramos a Conmebol para que os nossos torcedores sejam recebidos da mesma forma onde quer que vão nos ver jogar. Os atos de racismo, não preciso nem falar, emitimos nota, ofícios, cobramos punições. E não só multa", avaliou.

Chamou a atenção durante as últimas semanas, aliás, o fato de o Corinthians ter sido punido por infringir artigos que tratam de acordos comerciais da entidade. Houve punição por exposição de patrocinadores, com pagamento de praticamente o dobro do que o Boca pagou por racismo.

"Tá na hora de acabar, nossos torcedores sofreram isso aqui. Um torcedor cometeu esse crime no Brasil e, uma semana depois, eles fizeram de novo. Já deu. A Conmebol abriu o sorteio falando contra o racismo. Agora, as atitudes precisam acontecer. Esperamos isso e estaremos em cima disso", encerrou.

Notícias relacionadas

Notícias relacionadas Presidente do Corinthians espera rápida definição por Bruno Méndez e comenta futuro de emprestados Duilio desmente retorno de Everaldo ao Corinthians, fala sobre Romero e impõe condição para reforços Duilio detalha situação de Maycon no Corinthians e diz que vontade do jogador pesa nas negociações

Veja mais em: Duílio Monteiro Alves, Libertadores da América e Torcida do Corinthians.