LUTO! Falece marcante zagueiro do Corinthians e, no velório, viúva passa mal e também morre


LUTO! Falece marcante zagueiro do Corinthians e, no velório, viúva passa mal e também morre

A morte da esposa de Ademir no velório causou ainda mais comoção á família e amigos.

Categorias: Luto!

Por: Agência Futebol Interior, 23/07/2022

Ademir Gonçalves, em foto recente com camisetas do Corinthians.

Santa Bárbara D’Oeste, SP, 23 (AFI) – Uma notícia por demais triste para quem acompanha o futebol brasileiro. Faleceu na noite desta sexta-feira, em Santa Bárbara D’Oeste, o ex-zagueiro Ademir Gonçalves, campeão paulista pelo Corinthians em 1977 e ídolo de vários clubes. Ele tinha 75 anos e morreu em razão de uma parada cardíaca.

Ademir Gonçalves e esposa. Foto: Arquivo Pessoal

Na manhã deste sábado, enquanto o corpo de Ademir Gonçalves era velado no Velório Berto Lira, Elisabete Aparecida Bagnoli Gonçalves, viúva do ex-jogador, começou a passar mal e faleceu no local, causando maior comoção, já que havia muitos amigos e ex-companheiros.

Nascido em Santa Bárbara D’Oeste em 19 de novembro de 1946, Ademir José Gonçalves começou a destacar-se no União Barbarense e logo chegou ao XV de Piracicaba.

DESTAQUE NO XV DE PIRACICABA E IMPORTANTE NO CORINTHIANS

O sucesso no XV, chamou a atenção do Corinthians, que contratou Ademir Gonçalves em 1973. Em 1974, formou dupla com o tricampeão mundial Brito, na final do Campeonato Paulista, vencida pelo Palmeiras. Antes, no Campeonato Brasileiro, Ademir Gonçalves esteve emprestado ao Guarani, formando parceria na zaga com Amaral.

Mas foi em 1977 que Ademir Gonçalves entrou para a história corintiana ao conquistar o lendário título de Campeão Paulista, na final contra a Ponte Preta em 13 de outubro.

TÍTULO HISTÓRICO Mas foi em 1977 que Ademir Gonçalves entrou para a história corintiana ao conquistar o lendário título de Campeão Paulista, na final contra a Ponte Preta em 13 de outubro. O clube acabou com um jejum de 23 temporadas sem título, numa decisão que monopolizou as atenções do futebol brasileiro.

O Corinthians venceu o primeiro jogo por 1 a 0 (gol de Palhinha) e poderia confirmar a conquista no segundo quando foi registrando o recorde de público do Morumbi, com 146.082 torcedores. A Ponte Preta, porém, estragou a festa ao vencer por 2 a 1, com gols de Dicá e Rui Rei, com Vaguinho anotando para o Corinthians. O título só foi decidido no terceiro jogo, com um gol de Basílio na parte final do segundo tempo, com o time campineiro atuando desde os primeiros minutos de jogo com um a menos devido a expulsão do centroavante Rui Rei pelo polêmico árbitro Dulcídio Vanderley Boschilia.

Ademir Gonçalves, no Corinthians nos anos 1970

ÍDOLO NO SÃO JOSÉ E LÍDER NA CAMPANHA DO ACESSO

Ficou no Corinthians até meados de 1978 e, após breve passagem pelo Pinheiros (atual Paraná Clube), chegou no São José, onde também marcou época e foi o grande líder da equipe do Vale do Paraíba no acesso para a primeira divisão paulista em 1980. No final de carreira, Ademir Gonçalves ainda fez algumas partidas pelo União Barbarense até encerrar a carreira e continuar residindo em Santa Bárbara D’Oeste, onde teve inúmeras funções, seja como comerciante, seja no setor público e na imprensa, atuando como comentarista esportivo. 

Confira também: